Washington - A mulher do americano Bernard Madoff sacou US$ 15,5 milhões poucas semanas antes de seu marido ser detido por um escândalo que envolvia fraude com as chamadas pirâmides financeiras.

Os investigadores do caso apresentaram perante as autoridades em Nova York um documento que assinala que Ruth Madoff fez a operação financeira em novembro e dezembro passados.

O documento vincula a empresa Cohmad Securities que, segundo os investigadores, estava ligada à companhia de Madoff que operava as pirâmides de Nova York.

Madoff foi acusado de dirigir uma fraude internacional com a qual teria se apropriado de até US$ 50 bilhões dados a sua empresa por centenas de investidores, entre eles figuras do cinema e da televisão dos Estados Unidos.

Segundo os investigadores, as autoridades da Cohmad Securities conheciam as transferências que eram feitas da conta de Madoff.

Madoff foi detido no início de dezembro e no momento cumpre prisão domiciliar em seu apartamento em Manhattan.

Leia mais:

Leia mais sobre: Madoff

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.