Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Múcio descarta plano para impostos atrasados na reforma tributária

BRASÍLIA - O ministro de Relações Institucionais, José Múcio, rejeitou há pouco a idéia de se incluir mais um programa de renegociação de impostos atrasados (Refis) na proposta de reforma tributária, como vem sendo defendido pelo PMDB. Não queremos (incluir) coisas que podemos resolver através de outros instrumentos, disse o ministro sobre o assunto, ao sair durante a reunião sobre o tema, que ocorre desde as 12h, no gabinete do ministro da Fazenda, Guido Mantega, com parlamentares da base aliada do governo. O ministro ponderou ainda que o governo continua em busca de um consenso com a base aliada para, só então, encaminhar a proposta ao plenário da Câmara dos Deputados. O relatório-base sobre a reforma já foi aprovado pelos deputados em Comissão Especial.

Valor Online |

Múcio disse também que ainda existam várias questões pontuais reivindicadas por governadores que não têm consenso na base. "O nosso objetivo é estabelecer um ponto comum para que a proposta de reforma tributária possa corrigir injustiças e diferenças que existem no modelo atual", afirmou.

O deputado Jovair Arantes (PR-GO), que também deixou a reunião afirmando que a tendência da base é propor um novo Refis seja criado por Medida Provisória ou por Projeto de Lei. "Chegamos a conclusão que um projeto de reforma tributária dessa magnitude deve tratar do futuro e não de coisas do passado", disse o líder do PR.

Arantes afirmou ainda que o desejo da base é iniciar a votação da proposta "se possível ainda esta semana". No entanto, o parlamentar diz que "há um trecho longo ainda a caminhar" e que a base tenta chegar a um acordo sobre pelo menos 10 questões pontuais da proposta.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG