Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

MPF quer regime fechado para Braz e multa maior no caso Dantas

SÃO PAULO - Ao analisar mais profundamente a sentença proferida hoje pelo juiz da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, Fausto De Sanctis, o Ministério Público Federal (MPF) deverá apresentar recurso de apelação pelo qual pedirá prisão em regime fechado para o ex-presidente da Brasil Telecom Humberto Braz, pelo crime de corrupção ativa. Também há chance de que seja solicitado aumento da multa de R$ 14 milhões aplicada a Braz, Daniel Dantas e Hugo Chicaroni.

Valor Online |

Na sentença do juiz, Dantas foi condenado a dez anos de prisão em regime fechado e ao pagamento de multa de R$ 12 milhões. Para Braz, foi estabelecida prisão de sete anos e um mês em regime semi-aberto, com multa de R$ 1,5 milhão. Já Chicaroni também foi condenado a sete anos e um mês em regime semi-aberto, com multa de R$ 594 mil.

O procurador da República Rodrigo De Grandis afirmou hoje que o MPF tem até cinco dias úteis para apresentar o recurso. Na sua visão, a pena de prisão imposta a Dantas foi "adequada", porém o valor das multas poderá ser aumentado. "São vários critérios para o Ministério Público analisar", resumiu De Grandis, sem especificar o valor máximo que a multa poderia atingir.

Ele disse ainda não acreditar que a condenação poderá ser revertida, mesmo diante da possibilidade de os advogados dos acusados recorrerem da sentença. "Tenho plena convicção de que a condenação será mantida nas instâncias superiores, pois há provas que confirmam a culpabilidade dos réus", disse ele.

O procurador afirmou também que, a seu ver, o julgamento do caso deveria ser colocado em prioridade pela Justiça. Se isso acontecer, ele acredita que o processo possa ser finalizado em um prazo de cinco a sete anos.

(Murillo Camarotto | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG