Tamanho do texto

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro denunciou 17 pessoas que fraudavam a Previdência Social, obtendo auxílio-doença em diversas agências do Instituto Nacional do Seguro Nacional (INSS) no Rio de Janeiro. O prejuízo causado aos cofres públicos supera R$ 1,8 milhão.

Seis dos denunciados, que integravam um escritório de despachantes que se especializou em fraudar benefícios previdenciários, tiveram a prisão preventiva decretada. Segundo o MPF, os outros 11 réus eram cooptados por esse grupo, se faziam passar por portadores de doenças mentais para conseguirem o benefício junto ao INSS. Os despachantes, que atuavam há pelo menos três anos, com escritório em Bangu, irão responder pelos crimes de formação de quadrilha e estelionato qualificado, podendo ser condenados a penas que somadas chegam a dez anos de prisão. Nas buscas, realizadas hoje pela Polícia Federal, foram apreendidos blocos receituários médicos em branco que seriam utilizados em fraudes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.