Maceió, 30 - O Ministério Público de Alagoas instaurou procedimento administrativo para apurar denúncias veiculadas na imprensa alagoana de que empresários do setor sucroalcooleiro teriam se beneficiado com renúncia fiscal de R$ 1,5 bilhão. A anistia fiscal teria sido articulada pela secretária estadual da Fazenda, Fernanda Vilela, que é irmã do governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) e mulher do senador João Tenório (PSDB), que preside a Cooperativa dos Usineiros de Alagoas.

Segundo os promotores de Justiça Jamyl Barbosa e Cecília Carnaúba, da Promotoria da Fazenda Pública Estadual, a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) já tomou conhecimento do procedimento administrativo, divulgado no Diário Oficial do Estado, na edição de segunda-feira, e negou ter ocorrido a renúncia fiscal.

"Já recebemos as informações que solicitamos à Secretaria da Fazenda, vamos analisá-las e dar continuidade ao procedimento administrativo instaurado. Levando em consideração a difícil situação econômico-financeira enfrentada pelo Estado de Alagoas, vamos averiguar se, de fato, essa denúncia tão grave procede ou não", informaram os promotores de Justiça.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.