Nova York, 7 jun (EFE).- A entidade financeira Morgan Stanley planeja fechar 300 escritórios no próximo ano, o que representará a eliminação de 1.

Nova York, 7 jun (EFE).- A entidade financeira Morgan Stanley planeja fechar 300 escritórios no próximo ano, o que representará a eliminação de 1.200 postos de trabalho, como parte de seu plano de redução de custos após a fusão com a divisão de intermediação do Citigroup, Smith Barney, informou hoje o canal "FOX Business". A rede de televisão, que citou fontes ligadas à companhia e não detalhou de quais escritórios se tratava, lembrou que, à época da fusão em 2009, as duas entidades se propuseram a reduzir em US$ 1,1 bilhão os custos fixos da sociedade conjunta em até dois anos. Em junho de 2009, o Citigroup criou com a Morgan Stanley uma sociedade de joint venture para agrupar suas atividades de intermediação da bolsa e gestão de fortunas em uma entidade chamada Morgan Stanley Smith Barney. Como parte do acordo para criar uma das maiores corretoras do mundo, o Morgan Stanley aceitou pagar US$ 2,7 bilhões. Por sua parte, o Citigroup se comprometeu a manter uma percentagem significativa durante pelo menos cinco anos na empresa, o que representaria uma economia conjunta de custos de US$ 1,1 bilhão de dólares (15% das despesas comuns), graças às sinergias em tecnologia, marketing e desenvolvimento de produtos. A criação da sociedade fez parte da mudança radical de estrutura que o Citigroup decidiu fazer em janeiro de 2009 para superar a crise do setor financeiro. Em linhas gerais, essa mudança estabeleceu a divisão do Citigroup em duas grandes entidades diferenciadas para separar os bancos no varejo tradicional de outras atividades de maior risco, além de uma considerável redução de seu tamanho. EFE mgl/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.