LA PAZ (Reuters) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, embarca na quinta-feira para Líbia e Irã em busca de investimentos para o setor de gás, disseram fontes oficiais na terça-feira. A viagem de uma semana ocorre num momento de grave tensão política na Bolívia, devido à resistência da oposição às reformas esquerdistas do governo, o que inclui a adoção de uma nova Constituição.

Há cerca de um ano, La Paz decidiu estabelecer relações diplomáticas com o Irã, e há uma semana recebeu as credenciais do primeiro embaixador líbio.

Consuelo Ponce, porta-voz da Chancelaria, disse que o Congresso deve aprovar na quarta-feira a viagem de Morales, conforme exige a Constituição quando o afastamento supera cinco dias.

'O chanceler David Choquehuanca dará detalhes da agenda da viagem depois de que o Congresso a autorize', disse a porta-voz.

Outra fonte governamental informou, porém, que o objetivo é buscar investimentos que permitam à Bolívia manter uma produção de gás suficiente para cumprir seus compromissos comerciais com Brasil e Argentina.

Em setembro de 2007, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, fez uma breve visita a La Paz, na qual prometeu investimentos de pelo menos 1,1 bilhão de dólares à Bolívia.

No começo de agosto, Irã e Venezuela -- dois governos adversários dos EUA -- anunciaram a instalação de duas fábricas de cimento no altiplano boliviano, com um investimento conjunto de 230 milhões de dólares, segundo um relatório oficial.

(Reportagem de Carlos Alberto Quiroga)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.