La Paz, 9 jan (EFE).- O presidente boliviano, Evo Morales, inaugurou hoje em Santa Cruz, leste do país, a maior ponte da Bolívia, com 1.

400 metros de comprimento, uma obra-chave no corredor bioceânico que ligará o Brasil ao Chile.

Morales, que esteve acompanhado no ato pelo embaixador da Coréia do Sul, Hong Rak Kim, qualificou o dia de "histórico" e destacou que a ponte não só beneficiará a Bolívia, mas "os que fazem comércio do Oceano Pacífico ao Oceano Atlântico".

A ponte Pailas, construída pela empresa sul-coreana Sambu Construction sobre o rio Grande, é a mais comprida da Bolívia e está situada a 60 quilômetros da cidade de Santa Cruz, capital do departamento.

Morales aproveitou o ato para convidar o governador regional de Santa Cruz, Rubén Costas, os prefeitos e comitês cívicos, entre os quais estão alguns de seus mais firmes opositores, a receber o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 15 na localidade de Santa Cruz de Puerto Suárez.

Lula viajará para o pequeno município boliviano na fronteira com o Brasil na quinta-feira para anunciar empréstimos para financiar projetos de integração viária na Bolívia.

O embaixador da Coréia do Sul ressaltou que o país quer ser parte plena na construção do corredor bioceânico, que ligará Brasil, Bolívia e Chile, informou a agência estatal "ABI".

"Esta obra permitirá o desenvolvimento, a integração e o comércio entre estes três países, gerando grandes benefícios para seus povos", afirmou Hong Rak.

A obra foi financiada com um empréstimo de US$ 30,4 milhões concedido pelo Eximbank da Coréia do Sul, pela Corporação Andina de Fomento (CAF) e pelo Governo de Santa Cruz. EFE lav/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.