La Paz, 26 dez (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, assegurou hoje que não está assustado com a crise econômica prevista para 2009, afirmando que seu Governo está pronto para enfrentá-la.

"Não nos assustam os comentários de que passaremos por problemas econômicos muito sérios ano que vem", disse o presidente em discurso feito hoje.

O governante explicou que os problemas serão resolvidos de forma "oportuna" por sua equipe econômica, mas também convidou os economistas da Bolívia e os banqueiros a debater soluções para evitar a crise.

Segundo Morales, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da Bolívia ficará em torno de 6,5% - porém, a Comissão Econômica para a América Latina (Cepal) disse semana passada que o número fecharia em torno de 5,8%.

O presidente comparou sua estimativa com a média do crescimento de 3,5% no PIB conseguido, segundo suas palavras, nos Governos "neoliberais" do passado.

Ele ressaltou ainda entender a preocupação dos empresários sobre a possibilidade de crise. Segundo suas palavras, "não é que o Estado não tenha dinheiro para investir, mas há problemas com a burocracia em níveis municipais, regionais e do próprio Governo, e estes realmente atrasam os investimentos".

Para 2009, o Governo programou um investimento inédito de US$ 1,85 bilhão, além de outro 1 bilhão da estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), com um crédito do Banco Central. EFE ja/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.