SÃO PAULO - O presidente boliviano Evo Morales convocou nesta sexta-feira os dirigentes opositores para o diálogo sem condições nem imposições a fim de tentar frear a onda de violência e saques em várias regiões do país.

O ministro da Presidência da Bolívia, Juan Ramón Quintana, informou que Morales está disposto a conversar não só com os governadores como prefeitos, setores sociais e organizações cívicas e sindicais, além de entidades colegiadas.

Ontem, choques entre grupos a favor e contra o presidente boliviano resultaram em oito mortos e vários feridos no departamento de Pando, ao norte do país, segundo a Agência Boliviana de Informação (ABI).

Nesta madrugada, tropas desbloquearam as vias até os campos de petróleo do sudeste da Bolívia de forma pacífica. O primeiro contingente de militares chegou a Villamontes, a mais de mil quilômetros de La Paz, rumo a Yacuiba, onde se encontra a estação de bombeamento de Pocitos.

Por causa dos confrontos entre oposição e governistas, foi afetado parcialmente o fluxo de gás da Bolívia para o Brasil e Argentina. No caso brasileiro, a situação deve estar completamente normalizada em poucos dias.

Os opositores a Morales querem que o governo volte atrás na retenção de um imposto sobre os recursos petrolíferos para pagar um bônus a pessoas acima de 60 anos.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.