Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Montadoras reajustam antigos para lançar novos

Algumas montadoras têm reajustado os preços de seus veículos antes de reestilizá-los. Em seguida, anunciam que o novo produto chega com o mesmo valor do antigo.

Agência Estado |

Em doses homeopáticas, as alterações nas tabelas costumam ocorrer nos três meses que antecedem o lançamento da nova geração.

Este ano, as duas únicas marcas que anunciaram novidades "sem aumento" foram Fiat e Volkswagen. O exemplo mais recente é a nova geração do Gol, que começou a ser vendido no final do mês passado com preço a partir de R$ 28.890, mesmo valor do antigo modelo (na versão de quatro portas).

Mas, antes disso, a VW já havia reajustado o hatch três vezes: em fevereiro, quando passou de R$ 27.930 a R$ 28.270, abril (R$ 28.690) e maio, uma semana antes da chegada do Gol novo. Na última vez, a alta, que totalizou 3,4% do início do ano até agora, nem mesmo foi anunciada pela fabricante.

A Fiat adotou estratégia semelhante com a Palio Adventure. Até abril a perua tinha preço sugerido de R$ 53.050. Esse preço foi reajustado em R$ 800 (alta de 1,5%) antes da chegada da linha 2009, em maio, passando a R$ 53.850.

Da mesma "família", a picape Strada reestilizada, que será lançada no mês que vem, acaba de ter a tabela reajustada. O preço da versão Fire, que partia de R$ 31.340 em janeiro, passou para R$ 31.750 em abril e, este mês, subiu para R$ 32.050, uma alta de R$ 710 no semestre. Em contrapartida, as concessionárias estão oferecendo descontos para facilitar a desova de estoque do modelo atual.

Quando os reajustes não são feitos antes do lançamento, eles costumam vir em seguida. A linha 2009 de VW Fox, Polo e Golf ganhou no final de abril os propulsores VHT e teve mantidos os preços praticados desde fevereiro. Mas os três modelos ficaram mais caros no início deste mês. As versões 1.6 de Golf e Polo subiram, respectivamente, R$ 1.280 e R$ 1.040. Já o Fox 1.6 foi reajustado em R$ 700.

Melhorias têm custos

Paulo Roberto Garbossa, consultor da ADK Automotive, afirma que os custos de desenvolvimento e aprimoramento precisam ser amortizados. Por isso, acabam chegando ao preço final do veículo.

"Lançar um produto e dizer que ele está mais caro pode assustar o cliente. Para tentar evitar isso, nos meses que antecedem a chegada do novo carro as fabricantes costumam reajustar suas tabelas. Mas ao mesmo tempo autorizam as revendas a conceder bônus, o que camufla os aumentos", explica o consultor.

De acordo com ele, quando o novo carro é lançado essas promoções são suspensas e o valor de tabela, que subiu nos últimos meses, entra de fato em vigor. "Quanto maior for o número de configurações do veículo, mais difícil será o cliente perceber os aumentos."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG