Tamanho do texto

Ivan Blazevski. Bogoslovec (Macedônia), 20 out (EFE).- Lendas locais e interpretações de geólogos divergem há décadas na hora de explicar a origem da Muralha do Diabo, um gigantesco muro de pedra de mais de cinco quilômetros de extensão erguido ao sul de Skopje, na capital da Macedônia.

Obra do Diabo ou da natureza, o certo é que o fenômeno natural atrai aventureiros a essa quase deserta região montanhosa, nas proximidades do rio Bregalnica.

Reza a lenda que um dia o Diabo quis prejudicar a Macedônia e, então, ele teve a ideia de interromper o curso do rio Bregalnica, inundando a fértil planície de Ovce Pole. Para isso, planejou construir um muro em uma noite.

Para conter os planos malignos, Deus apressou-se a encontrar um galo e o despertou à meia-noite para que cantasse mais cedo, antes da chegada do dia.

Assim, o Diabo só conseguiu construir metade da muralha e morreu de ira. O rio seguiu seu curso, o campo foi salvo e o mal derrotado.

O único acesso à estranha construção é um caminho rural pelo qual é difícil até cruzar com um veículo com tração nas quatro rodas até certo ponto. A partir dali, é preciso encarar uma dura caminhada de uma hora até o mágico lugar.

"O caminho até a muralha é hostil. No verão, tem o sol ardente, além das serpentes. A água é um problema porque, com o forte calor, os mananciais ficam secos. O outono é a melhor época para ir até lá", explicou à Agência Efe Dragi Jovanov, guia montanhista.

Nesta região semidesértica, onde quase não existem árvores, as atividades geológicas e tectônicas, como terremotos, são frequentes.

A presença de diversos mananciais ricos em ferro e iodo traz a impressão às vezes de que se está à beira do mar, apesar de o local ficar no coração de uma seca região montanhosa semelhante à paisagem lunar.

A parte mais atrativa da muralha do Diabo tem cerca de 500 metros de comprimento, mas sua linha se prolonga por cerca de cinco quilômetros a leste e a oeste.

Em média, a altura da formação oscila entre 10 e 12 metros, por dois metros de largura.

A superfície da muralha é branca e é a única pedra dessa cor em toda a região.

O aspecto grandioso da coluna vertical e o silêncio místico que rodeia a paisagem desperta no local uma sensação de medo.

Apesar de a primeira vista parecer uma construção artificial, formada por enormes pedras, os geólogos asseguram que a muralha é o resultado da erosão milenar do solo e da casualidade.

O professor da Faculdade de Geologia de Skopje Nikola Dumurxhanov diz a Efe que, como na maior parte dos Bálcãs, esta região da Macedônia estava submersa pelo mar há 35 e 40 milhões de anos.

"No mar se depositavam diversos sedimentos. Através dos séculos, da evolução geológica, seu fundo obtinha formas novas. As rochas carbônicas, como a muralha do Diabo, foram as mais resistentes e permaneceram em forma vertical", explica Dumurxhanov.

Em paisagens misteriosas como esta sempre sobra espaço para histórias sobre os objetos não identificados e extraterrestres.

Camponeses da aldeia Bogoslovec, próximo da muralha, asseguram que sempre observaram objetos estranhos pairando sobre a muralha.

EFE Ib-Sn/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.