Tamanho do texto

Por Peter Murphy SÃO PAULO (Reuters) - A mineradora australiana Mirabela vai iniciar a produção da mina de níquel Santa Rita, na Bahia, até meados de 2009, apesar da queda dos preços e da força do real, de acordo com o diretor Nick Poll.

A mina de Santa Rita tem reservas estimadas de 540 mil toneladas de níquel --o maior depósito já descoberto nos últimos 12 anos em todo o mundo, diz a empresa.

Os preços do níquel atingiram o menor patamar em dois anos na quinta-feira, abaixo de 19 mil dólares a tonelada, devido ao enfraquecimento da demanda dos produtores de aço inoxidável.

Pouco mais de um ano atrás, os preços estavam acima dos 50 mil dólares a tonelada.

'Esse ainda é um preço muito bom para nosso projeto...Isso se deve ao fato de que é um depósito de sulfeto', disse Poll, entrevistado quando os preços ainda estavam acima de 19 mil dólares.

Ele explicou que os custos de produção para o sulfeto de níquel estão baixos, e seriam de cerca de 6.600 dólares a tonelada.

'Somos um produtor de longo prazo e baixo custo', disse Poll.

Ele explicou que os custos iniciais da mina são de 322 milhões dólares e que a Mirabela está disposta a expandir o projeto com o desenvolvimento de uma operação subterrânea para extrair mais minério diretamente abaixo da mina.

'Já recebemos resultados muito bons dos recursos subterrâneos', disse ele.

A Mirabela foi criada por Poll e outros dois geólogos, Craig Burton e Bill Clough, especificamente para desenvolver a mina de Santa Rita e a transformaram em uma empresa pública quando o local mostrou ser promissor.

Neste mês, a Votorantim Metais fechou acordo para comprar por cinco anos metade da produção de concentrado de níquel da mina desenvolvida pela Mirabela [ID:nN10456688]. A empresa ainda está em negociações avançadas para vender o restante para a Norilsk Nickel.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.