Washington, 20 abr (EFE).- Os ministros do trabalho dos países do G20 iniciaram hoje sua primeira reunião a fim de encontrar formas que permitam um crescimento econômico equilibrado e segurança aos trabalhadores.

Washington, 20 abr (EFE).- Os ministros do trabalho dos países do G20 iniciaram hoje sua primeira reunião a fim de encontrar formas que permitam um crescimento econômico equilibrado e segurança aos trabalhadores. A secretária de Trabalho dos Estados Unidos, Hilda Solis, foi a anfitriã do encontro e ficou encarregada de começar a reunião que qualificou como "histórica" e que servirá para criar uma "base firme" para fomentar a prosperidade e o emprego. "Esta é uma oportunidade histórica, comecemos a trabalhar imediatamente", disse. Os ministros de Trabalho do G20 serão recebidos amanhã pelo presidente dos EUA, Barack Obama, na Casa Branca, onde apresentarão os resultados da reunião e as suas recomendações. Os ministros do G20 têm tarefas muito específicas pela frente: encontrar maneiras de fazer frente aos desafios que a crise econômica representa para os lares e para os trabalhadores no mundo todo, lembrou Solis. Em Pittsburgh, onde ocorrer o encontro, os líderes declararam que não podem "descansar até que a economia global tenha se recuperado plenamente e as famílias trabalhadoras no mundo todo possam encontrar empregos decentes", ressaltou. Concretamente, de acordo com as diretrizes que receberam dos líderes, os ministros de Trabalho devem avaliar a atual situação e pedir à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e à Organização para a Cooperação Econômica e o Desenvolvimento (OECD) uma análise do impacto das políticas que os Governos já puseram em prática para atalhar a crise econômica e o desemprego. Também devem avaliar possíveis melhoras nos programas de proteção social, como seguros de desemprego, desenvolver estratégias para formar os trabalhadores para o mercado de trabalho do futuro e analisar formas de melhorar a qualidade e a quantidade dos empregos em seus respectivos países. EFE cai/pb
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.