Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ministro reitera que Argentina não aceitará condicionamentos do FMI

Buenos Aires, 23 abr (EFE).- O ministro da Economia da Argentina, Amado Boudou, reiterou hoje, em Washington, que seu país não aceitará condicionamentos a sua política econômica, ao rejeitar uma eventual revisão de suas contas por parte do Fundo Monetário Internacional (FMI).

EFE |

Buenos Aires, 23 abr (EFE).- O ministro da Economia da Argentina, Amado Boudou, reiterou hoje, em Washington, que seu país não aceitará condicionamentos a sua política econômica, ao rejeitar uma eventual revisão de suas contas por parte do Fundo Monetário Internacional (FMI). "Não viemos aqui em busca de uma revisão do artigo IV", que dá direito ao FMI a monitorar as contas públicas de seus países-membros, destacou Boudou em declarações à rádio "América", de Buenos Aires. "Se não parece que tudo gira em torno disso e essa não é a realidade", disse o ministro. Boudou respondeu desta forma ao diretor-geral adjunto do FMI, John Lipsky, que na quinta-feira disse que a Argentina, assim como todos os membros da entidade, é obrigada a permitir a revisão de sua economia e assegurou que esperava chegar a um acordo "em um tempo razoável". O ministro disse que em suas reuniões de ontem e hoje em Washington "houve várias discussões: uma central, sobre como são tomadas as decisões dentro do FMI, e outra vinculada às mudanças na pluralidade de ideias dentro da gerência do organismo, para que não haja receitas únicas". "Há um grupo de países que está dentro da mesma sintonia e inclusive ontem a China foi mais enfática que nós ao dizer que o FMI perdeu capacidade de representatividade porque não tinha previsto a crise dos Estados Unidos", lembrou. Boudou assegurou que a Argentina "não está só" nestas reivindicações e citou entre os países que acompanham esta posição Brasil, Índia e China, entre outros. EFE cw/pd
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG