O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, previu nesta segunda-feira que serão criados no Brasil cerca de 150 mil novos empregos formais no mês de novembro. Esse resultado, se confirmado, é recorde para meses de novembro.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237573805050&_c_=MiGComponente_C

O melhor resultado, até então, foi em novembro de 2007, quando foram criados 125 mil novos postos de trabalho. Para dezembro, Lupi acredita que as demissões devem superar as contratações em 200 mil. Esse resultado também seria o melhor para meses de dezembro. No ano passado, foram registradas 655 mil demissões em dezembro e, nos anos anteriores, esse volume de dispensas ficou na casa dos 300 mil.

Com base nessas previsões, Lupi acredita que o Brasil terá criado entre um milhão e 1,1 milhão de empregos formais em 2009. Até outubro, os novos postos de trabalho somaram 1.163.607. Embora o ministro tenha comemorado a superação da marca de um milhão de empregos neste ano, o número, para o acumulado de janeiro a outubro, é o pior para o período desde 2003, quando foram gerados 910.547 novos postos de trabalho.

Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o setor de serviços foi o que o mais empregou este ano, com um saldo positivo de 481.007 novos postos de trabalho, seguido da construção civil, que gerou 210.360 novos empregos formais. O comércio foi responsável pela criação de 169.988 novas vagas e a indústria de transformação, 137.311. Segundo o Ministério do Trabalho, desde janeiro de 2003, quando teve início o governo Lula, a outubro de 2009, foram criados 8.884.579 novos empregos formais.

Leia mais sobre: empregos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.