Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ministro da Justiça nega crise interna na Polícia Federal

BRASÍLIA - O ministro da Justiça, Tarso Genro, negou hoje uma possível crise dentro da Polícia Federal por conta dos últimos episódios envolvendo a Operação Satiagraha e o afastamento do delegado Protógenes Queiroz das investigações. Não está havendo falta de controle, pelo contrário, todos os controles da Polícia Federal estão sendo aprimorados, ressaltou.

Valor Online |

Durante o lançamento de um novo sistema de apoio ao Departamento de Polícia Federal (DPF) no controle e fiscalização de produtos químicos, ele destacou que a finalidade do novo software é combater não só o tráfico de drogas e o crime organizado mas também aumentar o rigor dentro da própria instituição. A fiscalização, de acordo com o ministro, é feita também por meio de equipes que visitam fábricas e portos.

Tarso afirmou que, "por mais mérito que tenha uma operação", nada justifica desvios de conduta ou violação da legalidade. Ele salientou que o controle interno da Polícia Federal serve justamente para sanar esse problemas.

"Por mais correta que seja a investigação, por mais importante e mesmo pelos bons objetivos que ela tenha alcançado, nenhum tipo de investigação justifica desvios de conduta, porque ela corre o risco de perder o mérito e isso é uma preocupação da corregedoria."
Durante a cerimônia, o ministro informou ainda que o país irá assinar o primeiro termo de revisão de colaboração com a Bolívia no combate ao tráfico de drogas. Segundo ele, o cenário de venda e consumo de entorpecentes na América do Sul tem sido alvo de políticas de colaboração entre países e a estratégia tem "estreitado" as ações das quadrilhas.

"Vamos avançar rapidamente no sentido de aperfeiçoar a nossa colaboração - com a presença maior da Polícia Federal na Bolívia, se isso for necessário. Essa é a orientação que tiramos do governo."
(Agência Brasil)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG