O ministro da Economia da Alemanha, Michael Glos, pediu nesta terça-feira que os banqueiros renunciem aos bônus anuais em um sinal de penintência pelos danos que provocaram na atual crise financeira.

"Um pouco mais de humildade ficaria bem nas caras daqueles banqueiros que são responsáveis pela crise", afirmou Glos ao jornal regional Passauer Neue Presse.

"Um sinal de penitência e de mudança talvez ajude a restaurar algo da confiança perdida nos bancos e seus gerentes", acrescentou.

Semana passada, Josef Ackerman, presidente do Deutsche Bank, maior banco da Alemanha, anunciou que abriria mão do bônis anual de milhões de euros para mostrar solidariedade aos funcionários em um momento de crise financeira.

O plano de resgate bancário do governo alemão de 480 bilhões de euros (635 bilhões de dólares) impõe um teto de 500.000 euros anuais ao salário dos executivos bancários para as instituições que desejam se beneficiar do apoio estatal.

spm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.