O ministro belga da Justiça, Jo Vandeurzen, renunciou nesta sexta-feira depois que o Tribunal de Cassação, a mais alta jurisdição do país, confirmou ter indícios importantes de que o governo tentou influenciar juizes no caso do banco Fortis.

A renúncia de Vandeurzen, membro do partido democrata cristão do primeiro-ministro, Yves Leterme, foi confirmada à AFP por seu porta-voz.

O Tribunal de Cassação indicou nesta sexta-feira ter "indícios importantes" embora "não tenha provas jurídicas" de que o governo de Leterme tentou influenciar a justiça no Caso do resgate do banco belgo-holandês Fortis.

"Vistos os meios limitados de investigação, não há provas jurídicas de uma tentativa de pressionar o tribunal, embora tenha indubitavelmente indícios importantes neste sentido", escreveu o presidente do mais alto tribunal belga, Ghislain Londers, em um informe.

bur-mar/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.