A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, indicou ontem que o preço dos combustíveis pode cair, mas não se comprometeu com a medida. Durante audiência pública na Câmara dos Deputados, ela disse que, se a cotação do petróleo se estabilizar nos níveis atuais, é possível uma acomodação para baixo nos preços dos combustíveis.

Ela acrescentou que, no mercado internacional, os derivados de petróleo já apresentam queda. "Os preços dos derivados são uma multiplicação do preço do brent, que já caiu de US$ 147 para US$ 45." Brent é o petróleo comercializado no mercado de Londres.

Porém, ela afirmou que "não tem como dizer" se e quando haverá redução do preço dos combustíveis no País. Segundo a ministra, a Petrobrás não costuma repassar imediatamente aos consumidores as variações dos preços internacionais.

A discussão sobre o preço dos combustíveis começou depois que um deputado sugeriu uma política de subsídios para o diesel, dentro da estratégia do governo de estimular a atividade econômica. Dilma descartou a idéia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.