A trajetória de alta nos preços do minério de ferro está perto de ser interrompida. Levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a pedido da Agência Estado , mostra que o preço da matéria-prima no atacado acumula 40,87% nos 12 meses até outubro, pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP-10).

Esse é o maior nível em mais de três anos nesse tipo de comparação e reflete os reajustes no preço do produto.

Analistas da LCA Consultores, do Brascan e da Modal Asset já apostam em redução nos preços em 2009, tanto nos contratos anuais como nas vendas do mercado spot (à vista). A crise dos mercados internacionais deve levar a um ambiente de recessão mundial, no qual a demanda por minério deve diminuir de ritmo.

Uma situação de desaquecimento mundial tem forte influência sobre o desempenho das indústrias siderúrgicas, maiores consumidores de minério de ferro. Com um provável recuo na procura por aço, a compra de minério - matéria-prima de sua fabricação - também deve arrefecer, em relação aos últimos cinco anos.

O economista da LCA consultores Francisco Pessoa Faria lembra que a procura por minério nos últimos anos acompanhou de perto a forte demanda por produtos siderúrgicos, tanto no mercado brasileiro como no mundial. Segundo ele, haverá uma queda média de preço de cerca de 10% no ano que vem, em relação a 2008.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.