SÃO PAULO (Reuters) - Trabalhadores da mina Casa de Pedra, da Companhia Siderúrgica Nacional em Minas Gerais, decidiram entrar em greve na madrugada desta quinta-feira, exigindo melhor participação nos lucros.

A greve começou com o turno da madrugada e está se ampliando para os próximos turnos, afirmou Sebastião Carlos, membro da secretaria-executiva nacional da central Conluntas, à qual é filiado o Sindicato Metabase Inconfidentes, que envolve as cidades de Congonhas, Ouro Preto e Belo Vale.

" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mineradores de mina Casa de Pedra da CSN entram em greve

SÃO PAULO (Reuters) - Trabalhadores da mina Casa de Pedra, da Companhia Siderúrgica Nacional em Minas Gerais, decidiram entrar em greve na madrugada desta quinta-feira, exigindo melhor participação nos lucros.

A greve começou com o turno da madrugada e está se ampliando para os próximos turnos, afirmou Sebastião Carlos, membro da secretaria-executiva nacional da central Conluntas, à qual é filiado o Sindicato Metabase Inconfidentes, que envolve as cidades de Congonhas, Ouro Preto e Belo Vale.

Reuters |

SÃO PAULO (Reuters) - Trabalhadores da mina Casa de Pedra, da Companhia Siderúrgica Nacional em Minas Gerais, decidiram entrar em greve na madrugada desta quinta-feira, exigindo melhor participação nos lucros.

A greve começou com o turno da madrugada e está se ampliando para os próximos turnos, afirmou Sebastião Carlos, membro da secretaria-executiva nacional da central Conluntas, à qual é filiado o Sindicato Metabase Inconfidentes, que envolve as cidades de Congonhas, Ouro Preto e Belo Vale.

Os trabalhadores querem pagamento imediato de três salários para toda a base das operações de mineração de Casa de Pedra, composta por cerca de 2 mil funcionários diretos, afirmou Carlos. Segundo o sindicato, é a primeira greve geral na mina desde 1989.

Enquanto isso, segundo a central, a CSN fez proposta de pagamento de 1,3 a 1,9 salário.

Representantes da CSN não puderam comentar o assunto imediatamente.

"Estamos pedindo a reabertura de negociação com a empresa e existe a possibilidade de Casa de Pedra continuar parada e de extensão da paralisação para a Namisa também", afirmou o representante, referindo-se à outra empresa de mineração da CSN, que emprega cerca de 600 trabalhadores.

Casa de Pedra é a principal unidade de produção de minério de ferro da CSN e será incluída em uma unidade de mineração do grupo que será alvo de abertura de capital até o final de junho.

Segundo comunicado do sindicato, há reclamação também sobre as condições de trabalho em Casa de Pedra, "que são péssimas. Quatro trabalhadores morreram em acidentes de trabalho nos últimos dois anos".

Na quarta-feira, o presidente da CSN, Benjamin Steinbruch, afirmou que a empresa aumentou os preços de minério de ferro em cerca de 100 por cento este mês, seguindo ação semelhante de outras grandes mineradoras.

Às 12h06, as ações da CSN exibiam queda de 0,78 por cento, cotadas a 35,42 reais. Enquanto isso, o Ibovespa mostrava estabilidade.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG