Tamanho do texto

Rio de Janeiro, 22 set (EFE).- A Serra da Madeira Participações, controlada pela mineradora peruana Minsur, adquiriu por R$ 850 milhões os negócios de estanho do grupo brasileiro Paranapanema, que informou sobre a transação em comunicado enviado hoje à Bolsa de Valores de São Paulo.

De acordo com a nota, a Paranapanema assinou na sexta-feira um contrato para transferir 100% das ações da Companhia de Mineração Taboca e de sua subsidiária Mamoré Mineração e Metalurgias à Serra da Madeira Participações, que é controlada pela Minsur.

A Minsur, principal produtora de estanho do Peru e responsável por 12% da extração desse mineral no mundo, controla indiretamente a Serra da Madeira Participações, da qual tem 50% do capital através de sua subsidiária Empresa Latinoamericana.

Os outros 50% do capital pertencem à Inversiones Naranjal, uma empresa do mesmo grupo econômico controlado pela Minsur.

Segundo o comunicado, o valor do negócio inclui a dívida das empresas brasileiras e ainda pode ser ajustado.

A Companhia de Mineração Taboca, principal braço do grupo Paranapanema e com grandes reservas de estanho no Brasil, é a operadora da mina Pitinga, em Presidente Figueiredo (AM), e que produz concentrados de cassiterita (com 42% de estanho) e de columbita, além de estanho, nióbio, ferro e tântalo.

A Taboca responde por 5% das vendas da Paranapanema.

Já a Mamoré é proprietária de uma fundição em Pirapora do Bom Jesus, na região metropolitana de São Paulo.

"A conclusão e fechamento da venda estão condicionadas ao cumprimento de determinadas condições precedentes previstas no contrato de compra e venda, dentre as quais (se conta) uma reorganização envolvendo a transferência de determinados ativos de Taboca e Mamoré para a companhia (Paranapanema)", diz o comunicado.

A Paranapanema explicou que o negócio é uma nova etapa em seu processo de reestruturação financeira e operacional e que prevê a venda de ativos como forma de reduzir dívida.

A Paranapanema, grupo com vendas anuais de R$ 3,2 bilhões e exportações de US$ 600 milhões, também produz, através de outras três subsidiárias, adubos, cobre e laminados, barras, canos e conexões de cobre. EFE cm/wr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.