BELO HORIZONTE - O governo de Minas Gerais ainda não decidiu se vai pleitear a inclusão do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, no novo modelo de concessão à iniciativa privada, estudada pelo Ministério da Defesa. Estamos atentos a todas essas discussões e o governo vai se manifestar no momento oportuno, disse Luiz Antônio Athayde, subsecretário de assuntos internacionais da Secretaria do Desenvolvimento Econômico estadual.

O modelo de concessão, a ser formatado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e BNDES, abrangerá os aeroportos do Galeão (RJ) e de Guarulhos (SP). A intenção do Ministério da Defesa é também construir o quarto terminal aeroportuário de São Paulo já no regime de concessão.

Mesmo sem posição oficial definida, a privatização é considerada pelos técnicos do governo mineiro como uma alternativa capaz de acelerar os investimentos necessários à expansão do aeroporto. "Na atual realidade brasileira, a concessão à iniciativa privada está colocada e é muito bem-vinda no sentido de acelerar os investimentos", afirmou Athayde.

O projeto do governo é dar um formato industrial ao aeroporto Tancredo Neves. Para isso, vai investir R$ 10 milhões na preparação de uma área de 46 mil metros quadrados, próxima ao terminal de cargas, destinada à instalação de empresas de alta tecnologia.

"(Danilo Jorge | Valor Econômico)"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.