Tamanho do texto

Os preços do milho na Bolsa de Chicago vêm caindo nos últimos dias, em reação ao clima favorável para o desenvolvimento da nova safra dos Estados Unidos. Ontem, o contrato com vencimento em julho registrou a menor cotação em nove meses.

Os preços do milho na Bolsa de Chicago vêm caindo nos últimos dias, em reação ao clima favorável para o desenvolvimento da nova safra dos Estados Unidos. Ontem, o contrato com vencimento em julho registrou a menor cotação em nove meses. Embora tenha fechado em baixa de 1,25%, a US$ 3,3575 por bushel, durante o pregão atingiu a mínima de US$ 3,3550. O clima quente e seco em áreas de produção de milho do Meio-Oeste americano tem sido bom para as lavouras. Dados semanais do governo sobre a condição da safra indicam potencial para uma colheita com tamanho e produtividade recorde. O resultado disso é a queda dos preços futuros. Ontem, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) informou que 76% da safra está em boas condições. O ritmo de desenvolvimento segue acima do normal: 94% do milho plantado emergiu (brotou), ante 85% há um ano e média de 91% nos últimos cinco anos. Sob influência do milho, o trigo caiu 0,80% e fechou a US$ 4,3225 por bushel. Os dois mercados estão ligados porque ambos os cereais são usados na ração animal. O contrato do trigo chegou a registrar nova mínima, também porque a oferta global é confortável. O mesmo vencimento da soja terminou estável a US$ 9,35 por bushel. Os produtores americanos estão evitando vender e a oferta apertada tem mantido os preços firmes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.