RIO - O presidente do conselho de administração da BM & FBovespa, Gilberto Mifano, vê com preocupação a exploração dos recursos da camada pré-sal do litoral brasileiro. De acordo com ele, deve-se tentar preservar os interesses dos acionistas minoritários da empresa. Não estou falando dos acionistas estrangeiros, mas de 400 mil brasileiros que escolheram ter ações da Petrobras, que escolheram que a empresa faça parte da vida deles, disse o executivo, que participou hoje do 20º Congresso da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec), no Rio de Janeiro.

O executivo evitou entrar em detalhes técnicos sobre as discussões que cercam o tema, e frisou que sua preocupação é estritamente relacionada a questões de governança corporativa. Temos princípios que não podem simplesmente ser rasgados, sob pena de perda de credibilidade, acrescentou.

Também presente ao evento, o gerente de Relações com Investidores da Petrobras, Hélder Leite, ponderou que desde 1974, data do último aporte de capital do governo na estatal, a Petrobras caminha com as próprias pernas. Ele também afirmou que, por enquanto, não se sabe qual o volume de recursos será necessário para exploração do pré-sal, mas frisou que a companhia tem totais condições de bancar os projetos existentes em carteira.

Até aqui temos tido condições, via geração própria de caixa ou utilização do mercado financeiro, de financiar os nossos projetos, completou.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.