Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Microsoft lança programa de fomento às novatas do setor de tecnologia

SÃO PAULO - A Microsoft Brasil anunciou hoje um programa de incentivo à indústria brasileira de desenvolvedores de software. Com essa iniciativa, a companhia pretende colaborar para a redução da taxa de mortalidade prematura de micro e pequenas empresas que, segundo uma pesquisa nacional do Sebrae, chega a 22% antes de dois anos de existência.

Valor Online |

Com investimentos de R$ 2,5 milhões, a Microsoft identificou cerca de oito mil empresas de pequeno porte, com base tecnológica, aptas a receber os incentivos. Batizado de Microsoft SOL, o programa irá oferecer licenciamento grátis de mais de 25 softwares por três anos, além suporte técnico e treinamento online. "O objetivo do programa não é dar dinheiro, e sim fornecer recursos para que as empresas ingressem mais preparadas no mercado", afirmou Michel Levy, presidente da Microsoft Brasil.

Para se inscrever, a empresa deve ter menos de três anos de vida, um faturamento anual de até R$ 1,2 milhão, além de desenvolver produtos ou serviços baseados em softwares. Outra exigência é que elas passem pela avaliação de parceiros da Microsoft, como a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e a Sociedade para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), que checarão a idéia empreendedora e verificarão quais são as necessidades da empresa. "A implantação das vantagens não tem custo inicial. Somente no final do processo os participantes terão que pagar o valor simbólico de US$ 100", explica Carlos Ferreira, diretor de Inovação e Novas Tecnologias da Microsoft.

Até julho de 2009, a companhia espera que cerca de 500 jovens empresas, geralmente vinculadas a incubadoras - cujos objetivos são justamente apoiar empreendedores - se inscrevam no processo.

Dessas, 320 serão selecionadas para participar de treinamentos e consultoria com especialistas da Microsoft, em 14 cidades espalhadas pelo país.

De acordo com Silvestre Labiak, diretor da Anprotec, não basta ter acesso aos softwares. O acompanhamento estratégico é também um ponto vital para a sobrevivência das empresas no mercado. "Não é possível ir à esquina e comprar um pacote de treinamento para esse mercado. A melhor parte do programa é justamente a capacitação", diz Labiak.

Outro ponto visado pelo Microsoft SOL é a ajuda na visibilidade dos novos empreendimentos do setor. A terceira etapa do processo irá selecionar 16 micro e pequenas empresas para uma exposição junto a potenciais investidores nacionais, de acordo com seu nível de inovação e criatividade, levando em conta também a viabilidade de mercado de seus projetos. Por fim, as três melhores irão apresentar seus trabalhos na matriz da Microsoft, em Seattle, nos EUA.

(Vanessa Dezem | Valor Online e Manuela Rahal | Valor Econômico, para o Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG