Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Microsoft diz que não insistirá na compra do Yahoo!

San Francisco, 24 jul (EFE).- A Microsoft não vai insistir na compra do Yahoo! e dá por encerradas, pelo menos por enquanto, as conversas com o portal de internet, afirmou hoje Steve Ballmer, executivo-chefe da gigante de informática.

EFE |

"Não há nenhuma negociação em andamento entre nós", disse Ballmer em um encontro com analistas de Wall Street. "O Yahoo! foi sempre uma tática e não uma estratégia", acrescentou.

"Tínhamos uma série de princípios, falamos sobre eles e não funcionou", declarou Ballmer sobre a oferta de US$ 47,5 bilhões da Microsoft rejeitada pelo portal em maio.

"Bem, acabamos. Temos que passar para outra coisa", afirmou.

No entanto, o diretor não quis fechar as portas para uma possível reavivação das negociações no futuro e afirmou que suas declarações não significam "que ninguém vá voltar a falar com ninguém de novo".

Para Ballmer, a operação fazia sentido pela redução de despesas obtida ao unir as áreas de buscas na rede, desenvolvimento e investimento em centros de dados de ambas as empresas.

Para a Microsoft, a aquisição foi também uma maneira rápida de ganhar escala e competir de forma mais eficiente com o Google, líder de buscas na Internet, acrescentou Ballmer, que não ocultou que agora se trata de uma corrida "entre Microsoft e Google".

A empresa de Gates pretende agora investir US$ 500 milhões adicionais em sua divisão de serviços online, apesar de esta área de negócio continuar gerando perdas para o grupo. Para Ballmer, esta divisão poderia supor a maior parte do valor econômico criado pela Microsoft, que sustentou seu império com licenças de software.

As declarações de Ballmer acontecem a uma semana da junta geral de acionistas do Yahoo!, na qual será decidida sobre o futuro da direção da empresa.

Hoje, a empresa de consultoria especializada Institutional Shareholder Services recomendou aos acionistas do Yahoo! que reelejam a atual direção, o que aumenta as possibilidades de uma junta sem incidentes para Jerry Yang, co-fundador do portal e sua equipe. EFE pg/rb/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG