Tamanho do texto

Como tantos outros ávidos cervejeiros amadores, Shane C. Welch transformou sua paixão pessoal num empreendimento comercial.

Mas ele seguiu o próprio rumo na hora de cuidar do marketing de suas cervejas.

A empresa de Welch, Sixpoint Craft Ales, localizada na região de Red Hook, no Brooklyn, não vende cerveja em garrafas, por exemplo. Em vez disso, vende principalmente barris para bares e restaurantes na região metropolitana de Nova York. Se os consumidores quiserem beber cerveja Sixpoint em suas casas, eles precisam trazer recipientes de quase 2 litros, conhecidos como "growlers" (ou rosnadores) até os bares para enchê-los.

"Não queremos seguir o caminho das cervejarias tradicionais", disse Welch, que cresceu em Milwaukee, cidade com um longo histórico de envolvimento na indústria da cerveja. "Não faz sentido exportar a cerveja para o outro lado do mundo. Trata-se de um modelo de negócios antiquado." A ciência econômica da indústria da cerveja pode ser desafiadora. As microcervejarias precisam vender milhares de barris de cerveja por ano antes de obter algum lucro. Até que consigam fazê-lo, empréstimos destinados a pequenas empresas podem ser difíceis de se obter. E ingredientes como o lúpulo se tornaram mais caros.

Além disso, os iniciantes entram para um ramo bastante concorrido. Uma onda de consolidação deixou apenas um punhado de empresas no comando da produção da cerveja bebida pela maioria dos americanos. Mas nada disso impediu os entusiastas da fabricação de cerveja de tentarem a sorte. Cerca de 450 microcervejarias atuam nos Estados Unidos, um aumento de quase 25% desde 2004, de acordo com a Associação das Cervejarias, grupo de participantes do setor com sede em Boulder, Colorado. Este número não inclui os quase mil bares que servem cerveja de sua própria produção.

Paul Gatza, diretor da associação, disse que o ritmo de abertura de novas microcervejarias desacelerou este ano em decorrência da recessão. No ano passado, 56 microcervejarias foram abertas, e 10 fecharam. Dentre as fechadas, três foram abertas em 2008. Neste ano, a associação registrou a abertura de 25 microcervejarias, além de 5 fechamentos.

Welch, cuja cervejaria está instalada nos 650 m² de uma antiga fábrica de armários de escritório, descreveu o processo criativo da produção de cerveja como "compreender o que as pessoas desejam e fazer com que a realidade corresponda a este desejo". Ele desenvolveu dúzias de receitas de cerveja empregando uma ampla variedade de grãos e cereais.

Patrick Rue, cuja cervejaria Bruery funciona nos 930 m² de um armazém localizado em Placentia, Califórnia, tem estratégia diferente. Apesar de sua cervejaria estar em atividade a apenas pouco mais de um ano, sua cerveja de estilo belga é vendida em Estados distantes como Nova Jersey e Massachusetts.

"Precisamos vender um pequeno volume de cerveja num grande número de lugares", disse Rue. "Esta é a nossa ponte para a sobrevivência." A Bruery, que entregou sua primeira caixa de cerveja em 2008, vendeu cerca de 1,2 mil barris nos primeiros 12 meses de produção. Toda a cerveja engarrafada - produto que corresponde a aproximadamente 3 quartos das vendas da Bruery - é vendida em garrafas de champanhe, cujos preços variam entre US$ 8 e US$ 14.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.