Tamanho do texto

A mexicana Cemex, terceira maior produtora de cimento do mundo, abrirá um processo internacional contra a recente expropriação de suas fábricas na Venezuela, informou a companhia na noite desta quarta-feira.

A empresa recorrerá ao "Centro Internacional para a Resolução de Disputas por Investimentos, pelo confisco dos bens e privação de direitos da Cemex Venezuela e o posterior início do procedimento de expropriação, realizado pelo governo da Venezuela", explicou a Cemex.

Em um comunicado, a empresa mexicana afirmou que a nacionalização de suas fábricas venezuelanas é "uma violação flagrante da Constituição, da Lei de Expropriação e de outras leis da Venezuela".

A Cemex, cuja sede central fica em Monterrey (norte do México), argumenta que "sempre manteve uma postura de respeito às decisões soberanas dos Estados onde opera que estejam de acordo com a Lei, uma vez que, como empresa internacional, tem a obrigação perante seus acionistas de defender os interesses da empresa".

A empresa declara ainda que rejeitou a compensação oferecida pelo governo da Venezuela, porque considera que "a oferta de 650 milhões de dólares por sua participação está muito aquém do valor real da mesma".

jg/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.