Os trabalhadores da Volkswagen e da Ford aprovaram hoje, em assembléia realizada na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, por unanimidade, a proposta de reajuste das montadoras. A proposta foi fechada depois de 12 horas de negociações, que se iniciaram às 15 horas de sexta-feira e terminaram às 4 horas de ontem e que repõe a inflação de 7,15% mais aumento real de 7,15%, além de um abono de R$ 1.

450 a ser pago no próximo dia 22 de setembro. "Se incorporarmos o abono, pela média mensal, chegamos a um aumento real de 5%", diz o presidente do Sindicato, Isaac do Carmo. A categoria considera esse aumento real como uma conquista histórica. Carmo afirmou que a mobilização dos trabalhadores foi fundamental para que isso ocorresse.

Para o sindicalista, a proposta se aproxima da lógica que vinha sendo considerada pelos trabalhadores, nas negociações. "De 2000 para cá, o melhor aumento real que tivemos foi de 4,4%, em 2004, mas a média foi de 3%", disse.
Com o acordo, segundo ele, está afastada a possibilidade de greve nas montadoras, que reúnem cerca de 7,1 mil trabalhadores. Amanhã serão reiniciadas as negociações com o setor de autopeças, com boas chances de acordo. Em São José dos Campos, amanhã, às 5h30 será realizada assembléia na entrada do 1º turno da General Motors, que na semana passada parou por 24 horas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.