Tamanho do texto

Nova York, 16 dez (EFE).- Uma em cada duas internautas americanas preferiria ficar sem sexo ou televisão durante duas semanas a perder o acesso à internet pelo mesmo período, revela uma pesquisa publicada hoje.

Em relação aos homens, um em cada três prefere ficar sem sexo ou televisão durante o mesmo período a perder sua conexão com a rede.

A pesquisa feita pela Intel, maior fabricante de microprocessadores do mundo, e publicada hoje pelo jornal nova-iorquino "Daily News", exibe esses resultados.

A pesquisa foi feita através da internet e foi dirigida a 2.119 adultos, internautas freqüentes.

Deles, 46% das mulheres e 30% dos homens tinham certeza ao responder que é pior estar sem internet por duas semanas a ter de abrir mão da televisão ou até do sexo durante esse tempo.

Os internautas de entre 18 e 34 anos mostraram ainda mais clara essa tendência, já que 39% no caso dos homens e 49% entre as mulheres preferem a internet ao sexo ou à televisão.

Assim, 52% das mulheres entre 35 e 44 anos sacrificariam o sexo em prol de ter uma conexão na internet.

Ao fazer a pesquisa, a Intel forçou um pouco mais a pergunta e se interessou pelas preferências se a situação consistisse em deixar de ver a televisão por duas semanas ou perder a internet por uma só semana.

Sobre a televisão, os adultos demonstram inclusive menos dúvidas e 58% deixariam de lado a TV, já que, no total, 65% dos indagados asseguram que não poderiam viver sem acesso à internet.

A percentagem supera também a dos que não poderiam viver sem televisão a cabo (39%), sem jantar de vez em quando na rua (20%), sem comprar roupa (18%) ou sem freqüentar a academia (10%). EFE mgl/rr