SÃO PAULO - Cerca de 32% dos municípios brasileiros tinham mais da metade da população vivendo na pobreza em 2003. É o que mostra o Mapa da Pobreza e Desigualdade divulgado nesta quinta-feira e produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceira com o Banco Mundial.

O estudo mostra que, na comparação entre as regiões, o Nordeste foi a que apresentou a maior porcentagem (77,1%) de municípios com mais de 50% da população em estado de pobreza. Logo atrás veio o Norte, com 28,75% dos municípios em situação precária, depois o Sudeste (13,3%) e o Centro-Oeste (12,1%). A região Sul foi a que apresentou menor porcentagem de municípios com maioria das pessoas pobres, registrando apenas 0,9% em 2003.

Com relação à concentração de renda, o mapa evidenciou que 40,7% dos municípios brasileiros apresentava um índice de Gini acima de 40%. Esse indicador mostra o grau de desigualdade existente na distribuição de indivíduos segundo a renda per capita, sendo que, quanto mais próximo de 100%, maior é a desigualdade.

A região com pior distribuição de renda era a Centro-Oeste, onde 73,5% dos municípios tinham Gini acima de 40%. Em segundo lugar estava a região Sudeste, com 52% dos municípios nessa situação, depois a Norte (48,1%), a Nordeste (36,9%), e por último a região Sul (15%).

Diante dos dados, o IBGE conclui que as regiões com melhores condições no quesito pobreza por municípios, foram as que apresentaram os maiores índices de desigualdade.

Outra evidência do estudo é que há uma tendência de maior incidência da pobreza em municípios de menor porte. Já a desigualdade é maior nos municípios mais populosos.

(Vanessa Dezem | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.