Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Merrill Lynch adverte sobre possibilidade de GM se declarar em moratória

Washington, 2 jul (EFE).- A Merrill Lynch advertiu hoje que a moratória da General Motors não é impossível, um dia após a publicação das vendas do setor automobilístico nos Estados Unidos durante junho.

EFE |

As vendas da GM caíram mais de 18% em comparação com o mês de junho de 2007.

Embora os números tenham sido melhores do que os analistas esperavam, a queda reforça a idéia de que o fim da crise do setor automobilístico nos EUA ainda está distante.

A Merrill Lynch justificou o rebaixamento da classificação da GM de "compra" para "rendimento menor" ao destacar que a principal mudança na perspectiva é uma previsão muito mais baixa de vendas de automóveis nos EUA.

A situação está fazendo as empresas do setor gastarem muito mais dinheiro, já que precisam atrair muito mais capital "do que o mercado está antecipando atualmente".

A Merrill Lynch estimou em US$ 15 bilhões a quantidade de dinheiro que a GM precisa para poder enfrentar bem as dificuldades, quase o dobro do inicialmente esperado.

Ontem, a montadora disse que deve vender 15 milhões de veículos novos nos EUA este ano, quantidade abaixo da previsão anterior, de 15,5 milhões.

Entretanto, a Merrill Lynch revisou esse número para 14,3 milhões para 2008 e 14 milhões em 2009.

Já a Ford, cujas vendas caíram 28,1% em junho, trouxe mais pessimismo ontem ao reconhecer que, se o primeiro semestre de 2008 foi ruim, "a economia entra no segundo semestre com notável falta de impulso e alto grau de incerteza".

A GM é a segunda montadora americana a lidar publicamente com a possibilidade de se declarar em moratória.

Na semana passada, a Chrysler desmentiu contundentemente os comentários de que estava se preparando para se declarar em moratória. EFE crd/wr/plc

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG