Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Merkel pede frente de governos europeus por montadoras

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse hoje que está acompanhando as ações dos Estados Unidos para apoiar a cambaleante indústria automotiva americana, e pediu uma frente unida de países da União Européia para ajudar as próprias montadoras a sobreviverem em meio à forte desaceleração das vendas de veículos. Merkel, ao responder às questões durante uma entrevista coletiva à imprensa com o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, na cidade italiana de Trieste, disse: Nós estamos assistindo às medidas americanas no setor automotivo bem de perto.

Agência Estado |

Nós não queremos que os EUA adotem medidas que sejam um problema para nós". Merkel respondia a uma pergunta sobre se havia uma política comum da Alemanha e da Itália para enfrentar a desaceleração da indústria automotiva.

Berlusconi disse que no encontro de cúpula entre os governos italiano e alemão realizado hoje, uma possível ajuda à indústria dos dois países não foi discutida. Ao responder a uma pergunta sobre se o governo italiano ajudará o setor automotivo da Itália, Berlusconi disse que não acredita ser apropriado tomar medidas "nessa direção". "Nós vamos observar como o mercado reage", disse Berlusconi. "No momento, medidas nessa direção não estão previstas".

Já Merkel pediu uma frente unida entre governos dos países da União Européia para ajudar as fabricantes locais de automóveis. Ela disse que o Banco Europeu de Investimentos (EIB, na sigla em inglês) amadurece a idéia de dar crédito aos fabricantes de automóveis.

A Comissão Européia e o EIB trabalham em um pacote de ajuda financeira às montadoras, que em contrapartida terão que desenvolver carros menos poluidores. A informação partiu de um porta-voz do EIB nesta semana. "Nós precisamos de menos burocracia e mais eficiência", disse Merkel, ao se referir aos fundos da União Européia. "O dinheiro está lá disponível, mas não há sempre oportunidade de gastá-lo por causa da burocracia", disse. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG