Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Mercedes faz programa para demissões voluntárias

PORTO ALEGRE - Mais duas empresas do setor metal-mecânico anunciaram demissões no Rio Grande do Sul por conta da desaceleração econômica, e a Mercedes-Benz anunciou um programa de demissões voluntárias para aposentados. A AGCO decidiu dispensar 139 funcionários da fábrica de colheitadeiras em Santa Rosa, no noroeste do Estado, onde outras 151 pessoas já haviam sido cortadas em dezembro.

Valor Online |

Ao mesmo tempo, a Zamprogna, que produz chapas, perfis e tubos de aço, vai demitir 260 trabalhadores em Porto Alegre ao longo desta semana.

De acordo com a Federação dos Metalúrgicos do Estado, de outubro até o fim de janeiro já haviam sido registradas 3,3 mil demissões no setor. Só a John Deere cortou mais de 700 empregados da unidade de colheitadeiras em Horizontina nesse período e está em negociação com a entidade para buscar uma alternativa às últimas 502 dispensas, anunciadas em janeiro. Na sexta-feira passada a Dana, fabricante de autopeças, demitiu 156 na unidade de Gravataí.

Outras indústrias de grande porte do setor, como Randon, Marcopolo e Kepler Weber, já recorreram à redução de jornada ou férias coletivas para enfrentar a queda do nível de atividade. A Guerra, concorrente da Randon no segmento de reboques e semirreboques rodoviários, iniciou ontem a antecipação de dez dias das férias do fim de 2009 para seus 1,8 mil funcionários divididos em duas turmas. Uma vai parar até o dia 26 e outra, até 4 de março. Também a Gerdau está negociando suspensões de contratos de trabalho e demissões nas duas usinas que mantém no Rio Grande do Sul.

Com as 139 dispensas confirmadas ontem, a AGCO acumula uma redução de 30% no contingente de trabalhadores da fábrica de colheitadeiras desde dezembro, para 648 funcionários. Em nota, a empresa explicou que mesmo com as demissões o quadro de pessoal da unidade ainda é 45,6% superior à posição de dezembro de 2006.

A Zamprogna, que em dezembro foi vendida pela gestora de fundos NSG Capital para a Usiminas por R$ 160 milhões, comunicou na semana passada ao sindicato dos metalúrgicos de Porto Alegre a decisão de demitir 260 pessoas na cidade e outras 140 em Guarulhos e Campo Limpo Paulista (SP). A empresa mantém no país 1,2 mil empregados.

Em São Bernardo do Campo (SP), a Mercedes-Benz anunciou ontem a abertura de um programa de demissão voluntária (PDV), voltada exclusivamente para aposentados. A comissão sindical da empresa informou que a medida não estabelece cota. O incentivo aos empregados que aderirem ao programa será o pagamento de 4 salários. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o programa deverá atingir 1 mil trabalhadores com o programa.

Em São José dos Campos (SP), ex-empregados da General Motors decidiram cobrar na Justiça o pagamento de indenizações devidas pela montadora. No último dia 11, o Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região julgou o pedido de dissídio ajuizado pelo sindicato dos metalúrgicos local, em que pedia a volta de 802 trabalhadores com contrato por prazo determinado, demitidos em janeiro.

A Justiça decidiu que a empresa não precisaria recontratá-los, mas terá de pagar, como indenização, o valor equivalente à remuneração que cada trabalhador receberia se ficasse na empresa até o fim do contrato. O sindicato informou que vai entrar na Justiça com o pedido de execução do pagamento em três dias. A GM pode recorrer da sentença. Procurada, a empresa não deu retorno.

Leia mais sobre: demissões na indústria

Leia tudo sobre: demissões

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG