Tamanho do texto

Wall Street tem em julho o melhor mês em um ano

Por Edward Krudy

NOVA YORK (Reuters) - O mercado de ações norte-americano teve pouca variação nesta sexta-feira, mas Wall Street fechou em julho seu melhor mês em um ano, com a temporada de resultados corporativos chegando ao fim em tom positivo, compensando o impacto de dados econômicos pessimistas.

Embora os principais índices tenham registrado altas de cerca de 7 por cento no mês, o volume das operações foi baixo e os ganhos seguem uma queda total de 14 por cento nos meses de maio e junho.

O conflito entre balanços fortes de empresas e dados macroeconômicos fracos pressionou o mercado acionário em julho. Antes da abertura das bolsas nesta sexta-feira, o governo norte-americano divulgou o PIB do segundo semestre, que decepcionou investidores, embora o mercado tenha voltado a subir até o final da sessão.

A direção incerta da economia também levou investidores a levarem mais em conta fatores técnicos. O índice S&P 500 manteve estabilidade por volta dos 1.100 pontos, com dificuldade de ultrapassar sua média móvel de 200 dias, de cerca de 1.115 pontos. A manutenção do índice acima dessa faixa indicaria mercado em alta.

"Falhamos aqui cerca de três vezes, então, tecnicamente, as pessoas estão usando isso como razão para vendas a descoberto", disse o vice-presidente de estudos financeiros e analista sênior de indíces acionários da MF Global, Nick Kalivas.

No fechamento desta sexta-feira, o índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 0,01 por cento, para 10.465 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 0,13 por cento, para 2.254 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,01 por cento, para 1.101 pontos.

Já no acumulado de julho, o índice Dow Jones teve alta de 7,1 por cento e Nasdaq e S&P, de 6,9 por cento, ambas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.