Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os principais índices de Wall Street recuaram nesta quarta-feira, diante de indicadores nos EUA e preocupações sobre a recuperação da economia mundial. Nesta manhã, a ADP, empresa que processa folhas de pagamentos, informou que o setor privado não agrícola dos Estados Unidos criou 13 mil postos de trabalho em junho, registrando o quinto mês consecutivo de aumento de empregos no setor.

Apesar de positivo, o resultado veio aquém do esperado pelo mercado, deixando uma perspectiva negativa para os dados de emprego que serão divulgados pelo governo americano na próxima sexta-feira. Na Europa, o clima negativo veio com a análise da agência de classificação de risco Moody's, que colocou as notas de crédito da Espanha em revisão para possível rebaixamento. A decisão da agência ocorre depois de S & P e Fitch já terem anunciado reduções na nota soberana espanhola. Por outro lado, limitou as perdas, a notícia de que, segundo afirmou o Banco Central Europeu (BCE), a demanda por empréstimos foi menor do que a esperada, gerando expectativas de que o setor financeiro europeu não está em situação tão ruim quanto se esperava. O plano de empréstimos do BCE deve se expirar amanhã, o que ainda preocupa o mercado sobre a possibilidade de os bancos do continente ainda estarem dependentes da liquidez proveniente do programa de socorro. O setor financeiro ficou sob pressão nesta sessão. As ações do Goldman Sachs recuaram 1,8%, enquanto aas do Bank of America perderam 1,3%. O índice Dow Jones recuou 0,98%, aos 9.774 pontos. O Nasdaq perdeu 1,22%, aos 2.109 pontos. O S & P-500, por sua vez, apresentou desvalorização de 1,01%, aos 1.031 pontos. (Vanessa Dezem | Valor, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.