SÃO PAULO - O volume de cheques devolvidos em janeiro foi de 1,85% do total de compensados, totalizando mais de 1,6 milhão de cheques, em relação aos mais de 90,5 milhões compensados, de acordo com pesquisa da Serasa Experian. Este foi o menor percentual de inadimplência com cheques registrado em 16 meses.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561188843&_c_=MiGComponente_C

O levantamento, realizado com base no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos (CCF), operacionalizado pelo Banco do Brasil, considera apenas cheques que foram devolvidos pela segunda vez por insuficiência de fundos. A Serasa explica que a primeira devolução não caracteriza inadimplência.

Os economistas da Serasa creditam o resultado à aceleração do crescimento econômico a partir do segundo semestre do ano passado, que foi acompanhada de aumento do emprego e da renda.

Além disso, a normalização do mercado de crédito diminuiu o papel do cheque como alternativa de financiamento - movimento que foi intenso durante o final de 2008 e parte do ano passado - favorecendo a melhora do risco envolvendo cheques.

São Paulo foi o estado com o menor percentual de cheques devolvidos em janeiro, com 1,41%, seguido por Rio de Janeiro, com 1,47%. Na outra ponta, no Amapá, a inadimplência com cheques atingiu 11,93%. Já no Maranhão e em Roraima, o percentual foi de 8,72%.

Na análise por regiões, verifica-se que o Norte registrou 4,30%; o Nordeste, 3,05%; o Centro-Oeste, 2,41%; o Sul, 1,83%; e o Sudeste, 1,51%.

Leia mais sobre: cheques

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.