Medida seria uma das maiores mudanças na regulação do mercado financeiro nos Estados Unidos desde a Grande Depressão

Os legisladores do Senado dos Estados Unidos rejeitaram na tarde de ontem uma emenda que teria colocado um rigoroso limite no tamanho dos bancos do país. Apenas 33 senadores votaram a favor da emenda, apresentada por um bloco de democratas liberais, que teria determinado que nenhuma holding bancária poderia ter mais do que 10% do total dos depósitos nacionais garantidos. Além disso, a emenda limitaria a alavancagem dos bancos.

Se promulgada, a regra iria se tornar uma das maiores mudanças na regulação do mercado financeiro nos Estados Unidos desde a Grande Depressão. Democratas e republicanos divergiram frequentemente em relação a quais emendas seriam colocadas em votação e mesmo sobre como prosseguir com as discussões.

As novas votações na legislação não devem acontecer até a próxima terça-feira. O líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, disse que quer que a casa termine as análises de todo o projeto até o fim da semana que vem. O porta-voz de Reid, Jim Manley, acusou os líderes do partido Republicano de tentar atrasar as votações das emendas nesta semana para que pudessem "nos acusar de tentar obstruir o processo" enquanto, afirmou, os democratas trabalham para terminar o projeto até a semana que vem.

Os legisladores democratas, liderados pelo senador Christopher Dodd, têm tido grande sucesso em recusar tentativas dos dois lados do espectro ideológico de anexar artigos à legislação, que poderiam colocar em risco os esforços para reconciliá-la com um projeto já aprovado pela Câmara e entregá-la ao presidente Barack Obama para transformá-la em lei.

Dodd, trabalhando junto com a Casa Branca e o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), conseguiu modificar profundamente uma emenda do senador Bernie Sanders ontem que teria deixado o Fed exposto a um grande escrutínio por parte de auditores do governo. Os democratas também recusaram uma tentativa dos republicanos de tentar acabar com uma proposta apresentada para a criação de uma agência de defesa do consumidor e conseguiram rejeitar um rigoroso limite de tamanho para os maiores bancos dos EUA.

"O problema não é o tamanho, é a regulamentação. O Canadá não tem nenhum problema, e os bancos deles são muito maiores e mais consolidados que os nossos", disse a senadora Claire MacCaskill, após a votação da tarde de quinta-feira. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.