SÃO PAULO - Com uma trajetória instável ao longo deste mês, a saída de capital estrangeiro da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a superar sua entrada na última semana

SÃO PAULO - Com uma trajetória instável ao longo deste mês, a saída de capital estrangeiro da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a superar sua entrada na última semana. Entre os dias 18 e 22 de outubro, o saldo de atuação do não residente no mercado brasileiro ficou negativo em R$ 160,2 milhões. O total ajuda a explicar a desvalorização de 3,2% do Ibovespa, para 69.529 pontos, no período. A queda do índice foi a primeira em oito semanas e correspondeu ao pior desempenho para o intervalo desde a semana de 28 de junho a 2 de julho (-5,24%). O movimento do estrangeiro na semana passada foi oposto ao do intervalo de 11 a 15 de outubro, quando seu fluxo direto na Bovespa havia ficado positivo em R$ 2,019 bilhões. Na abertura do mês, entre os dias 4 e 8, as vendas do investidor internacional haviam superado suas compras em R$ 938,2 milhões. De volta à semana passada, a retirada de recursos dos investidores institucionais da Bovespa superou a entrada em R$ 282,5 milhões. No caso das pessoas físicas, o saldo ficou positivo em R$ 84,4 milhões. Apenas no dia 22, quando o Ibovespa caiu 0,18%, o saldo de atuação do estrangeiro no mercado brasileiro ficou negativo em R$ 158,8 milhões. No acumulado do mês, o fluxo direto do investidor internacional segue positivo, em R$ 1,196 bilhão. No ano, as compras do não residente na Bovespa já ultrapassaram suas vendas em aproximadamente R$ 4,3 bilhões. (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.