Os contratos futuros do petróleo operavam em leve queda, à espera dos dados de estoques que serão publicados pelo Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) às 11h30 de Brasília

selo

Os contratos futuros do petróleo operavam em leve queda, à espera dos dados de estoques que serão publicados pelo Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) às 11h30 de Brasília.

Às 10h55 (de Brasília), o contrato do petróleo com entrega para outubro, negociado na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês)), operava em queda de 0,20%, em US$ 71,51 por barril. O petróleo futuro tipo Brent para outubro, comercializado na plataforma ICE, caía 0,12%, para US$ 72,29 por barril.

Os preços do petróleo despencaram mais de US$ 10 por barril desde o início de agosto, com perdas em 10 das últimas 11 sessões de negociação. Dados econômicos e mercados de ações fracos apontam lenta recuperação, pesando sobre os contratos de petróleo. O relatório do DoE deve mostrar um declínio modesto nos estoques de petróleo nos EUA, que permaneceram altos na estação de verão do hemisfério norte, quando aumenta o fluxo de viagens no país.

No relatório da semana passada, os estoques de petróleo e derivados nos EUA subiram, para o nível mais alto em quase 27 anos. A previsão para os dados de hoje é de um pequeno declínio de 200 mil barris nos estoques de petróleo do país, segundo pesquisa da Dow Jones. Os estoques de gasolina devem diminuir 500 mil barris e os estoques de destilados, que incluem óleo de calefação e diesel combustível, devem subir 900 mil barris.

"Ainda prevemos a possibilidade de novas perdas nos preços depois da publicação dos dados", afirma o chefe da Ritterbusch and Associates, Jim Ritterbusch, que acompanha o mercado.

Na terça-feira à noite, a American Petroleum Industry (API), um grupo privado, publicou queda de 1,8 milhão de barris nos estoques de petróleo, redução de 692 mil barris nos estoques de gasolina e alta de 900 mil barris nos estoques de destilados.

O relatório do DoE pode se somar aos dados econômicos negativos publicados mais cedo. As encomendas de bens duráveis nos EUA cresceram 0,3% em julho, para o valor sazonalmente ajustado de US$ 193,02 bilhões, segundo o Departamento de Comércio do país. O aumento foi menor do que a previsão dos economistas, de 2,8%. O dado de junho foi revisado para mostrar queda de 0,1%, em vez do declínio de 1,2% informado anteriormente. O índice Dow Jones estava há pouco em queda de 0,76%. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.