Tamanho do texto

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda

selo

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda. O mercado refletiu a incerteza sobre a situação de um grande oleoduto entre o Canadá e os EUA. Os preços do petróleo têm sido apoiados pelo fechamento do oleoduto 6ª da Enbridge, que pode transportar até 670 mil barris por dia de petróleo bruto do Canadá para refinarias dos EUA. Uma interrupção prolongada poderá começar a reduzir os grandes estoques de petróleo e derivados nos EUA.

Mesmo com a queda de hoje, os futuros de petróleo ainda estão mais de US$ 2 dólares acima do preço anterior ao anúncio da Enbridge, na noite da última quinta-feira, de que teria de fechar o oleoduto devido à descoberta de um vazamento. A retração de hoje se deu por causa de informes de que a Enbridge poderá reabrir o oleoduto sem precisar da aprovação das autoridades reguladoras do EUA. Mas a empresa disse à Dow Jones que a autorização é necessária.

"Houve rumores no mercado. Não existem grandes mudanças", disse Tim Evans, analista da Citi Futures Perspective, sobre as previsões sobre a reabertura do oleoduto.

Os futuros de petróleo também foram pressionados por sinais de desaceleração na economia da Alemanha. O índice de expectativas econômicas da Alemanha recuou para -4,3 pontos em setembro - nível mais baixo desde fevereiro de 2009 -, de 14,0 pontos em agosto, informou o instituto de pesquisas ZEW. O índice serviu como um lembrete de que nem todas as grandes economias do mundo estão crescendo no mesmo ritmo da China, onde uma expansão de 13,9% na produção industrial em agosto fez com que o petróleo atingisse a máxima intraday de US$ 78,04 ontem. Hoje, o indicador de vendas no varejo nos EUA em agosto (+0,4%) não conseguiu impulsionar o petróleo.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, sigla em inglês), os contratos de petróleo bruto para outubro fecharam a US$ 76,80 por barril, em queda de US$ 0,39 (0,51%). Na Intercontinental Exchange (ICE), os contratos do petróleo Brent para outubro fecharam em alta de US$ 0,13 (0,16%), a US$ 79,16 o barril. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.