Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Petrobras pode levantar até US$ 25 bilhões com capitalização

Proposta foi aprovada na madrugada desta quinta-feira pelo Senado; emissão poderá vir a ser a maior oferta de ações do mundo

Reuters |

O Senado aprovou na madrugada desta quinta-feira o projeto de capitalização da Petrobras sem alterar a proposta proveniente da Câmara dos Deputados, o que vai permitir que o projeto agora siga diretamente para a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Amplamente aguardado pelo mercado, o projeto vai permitir que a Petrobras faça uma operação de aumento de capital mais ampla, que além da oferta de ações para os acionistas minoritários contemplará a cessão pela União de direitos de exploração de até 5 bilhões de barris de petróleo em áreas não licitadas do pré-sal.

A emissão também poderá ser a maior oferta de ações do mundo. O recorde foi do banco chinês ICBC, que obteve US$ 21,9 bilhões com sua oferta inicial, em 2006. A marca, no entanto, não deverá durar muito. Nesta semana, foi anunciado que o também chinês Agricultural Bank of China espera obter entre US$ 17 bilhões e US$ 30 bilhões, em sua abertura de capital.

Com a cessão, a Petrobras aumentará sua capacidade de alavancagem, além de prever levantar um valor estimado entre US$ 15 bilhões e US$ 25 bilhões junto aos acionistas minoritários, montante que será direcionado aos grandes investimentos que planeja, principalmente no desenvolvimento das reservas do pré-sal.

A votação no Senado só foi concluída perto das 4 horas desta quinta-feira, porque o projeto anterior, que institui o Fundo Social e o sistema de partilha de produção, demorou várias horas para ser votado e aprovado.

O projeto de capitalização foi aprovado por 44 votos a favor, 6 votos contrários e 5 abstenções.

A definição do valor total da operação de capitalização da Petrobras, no entanto, ainda depende da conclusão dos estudos sobre o valor do barril das reservas de 5 bilhões de barris que serão cedidas pela União à estatal.

A ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) já encontrou uma área, Franco, em região não licitada do pré-sal de Santos, com 4,5 bilhões de barris de petróleo, e avalia uma segunda área, Libra, na mesma região, que diz poder conter o volume igual ou maior.

Empresas certificadoras vão definir o valor desse barril. Como a União possui aproximadamente um terço do capital social da Petrobras, o volume de petróleo que ceder, ao preço que será definido, vai basear a contrapartida que os acionistas minoritários terão de dar para não serem diluídos na composição acionária da estatal.

Por isso o valor a ser levantado em dinheiro pode variar na faixa citada pela Petrobras de aproximadamente US$ 15 bilhões a US$ 25 bilhões.

 

(Com Reuters)

Leia tudo sobre: Petrobraspetróleogáscapitalizaçãoemissãopré-sal

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG