SÃO PAULO - Os papéis do grupo EBX, do empresário Eike Batista, descolam do mercado brasileiro no pregão desta quinta-feira, ao apresentarem ganhos muito expressivos. Por volta das 16h40, o Ibovespa subia 0,25%, aos 65.954 pontos.

As ações ON da LLX lideravam os ganhos do índice, ao avançarem 5,46%, a R$ 9,84, assim como os papéis OGX ON (2,95%, a R$ 18,83) e MMX ON (2,95%, a R$ 12,54) estavam entre as maiores altas. Fora do Ibovespa, as ações ON da MPX disparavam 8,01%, a R$ 23,71, enquanto os papéis ON da OSX, exceção do dia, perdiam 1,36%, a R$ 505. Entre as companhias que divulgaram seus balanços trimestrais, a OGX, o braço petroleiro, registrou um lucro líquido de R$ 57,8 milhões entre abril e junho, revertendo o prejuízo apurado no mesmo período do ano passado, de R$ 177,5 milhões. O desempenho da empresa foi atribuído principalmente à redução das despesas financeiras, de R$ 315,4 milhões para R$ 15,7 milhões. A companhia ainda anunciou a descoberta de gás no poço OGX-16, a uma profundidade de 1.654 metros, localizado na bacia terrestre do Parnaíba. A OGX Maranhão, sociedade formada entre OGX (66,6%) e a MPX (33,3%), é a operadora do poço e detém 70% de participação no bloco. O empresário Eike Batista estima que a produção diária de gás no Brasil vai aumentar 25% com a descoberta na Bacia do Parnaíba. A companhia detém sete blocos na bacia que somam 21 mil quilômetros quadrados. Nesta região, pelos cálculos de Batista, há uma reserva entre 10 e 15 trilhões de pés cúbicos de gás natural. Se confirmado, o volume corresponderá à quase metade das reservas confirmadas de gás da Bolívia, que de acordo com o governo boliviano, somam aproximadamente 19 trilhões de pés cúbicos. Eike Batista, que ocupa a presidência do Conselho de Administração da OGX e da MPX, prevê que em até dois anos já será possível gerar energia a partir dessa descoberta. A OGX planeja investir US$ 400 milhões na operacionalização de poços na Bacia do Parnaíba. Já a OSX, unidade de equipamentos e serviços para a indústria de petróleo e gás do grupo EBX, anunciou um lucro líquido de R$ 23,12 milhões no segundo trimestre, um avanço ante o prejuízo de R$ 2,17 milhões registrado no mesmo período do ano passado. Do ganho total entre abril e junho, no entanto, R$ 21,4 milhões se referem a Imposto de Renda (IR) diferido. A mineradora MMX e a MPX Energia divulgam seus resultados trimestrais hoje e amanhã. (Beatriz Cutait, Francine De Lorenzo e Ana Luísa Westphalen | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.