Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Papéis da Petrobras impedem queda mais expressiva do Ibovespa

Pressão para os mercados reside principalmente nos números mais fracos do que o previsto de criação de postos de trabalho nos EUA

Valor Online |

Dados piores do que o projetado para o mercado de trabalho americano pesam sobre o desempenho das bolsas no pregão desta sexta-feira. No Brasil, entretanto, a alta das ações da Petrobras está conseguindo amenizar as perdas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Próximo das 12h50, o Ibovespa, que já marcou 61.855 pontos na mínima do dia, recuava 1,38%, aos 62.072 pontos, com giro financeiro de R$ 2,335 bilhões. No mesmo horário, os papéis PN da Petrobras avançavam 1,44%, a R$ 29,52, com giro de R$ 237,7 milhões, enquanto as ações ON se apreciavam em 2,37%, a R$ 34,11. Em Wall Street, as vendas seguiam com força. Há pouco, o índice Dow Jones declinava 2,00%, o Nasdaq se depreciava em 1,72% e o S & P 500 tinha baixa de 1,90%.

A pressão para os mercados reside principalmente nos números mais fracos do que o previsto de criação de postos de trabalho nos Estados Unidos, com um total de 431 mil vagas em maio. O resultado reflete a contratação de 411 mil trabalhadores temporários para o Censo 2010. Apenas no setor privado, foram adicionados 41 mil postos de trabalho no mês passado, um resultado abaixo do previsto pelos agentes. Ainda no âmbito internacional, a revelação de que a Hungria poderá ser a próxima Grécia também está pesando sobre as bolsas.

Na quinta-feira, a Comissão Europeia pediu à Hungria que reduza seu déficit orçamentário rapidamente após a administração do país alertar que o déficit fiscal deste ano pode ser o dobro da meta acertada com credores, incluindo a União Europeia. A sócia da Oren Investimentos, Daniella Marques, assinala que o anúncio de outra descoberta pela Petrobras no pré-sal da Bacia de Campos, ainda que não tenha um volume tão expressivo, está animando os agentes e segurando a queda do Ibovespa. Com a perfuração do prospecto exploratório Brava, a estatal revelou uma nova acumulação de óleo leve, em área próxima da infraestrutura instalada dos campos de Marlim e Voador.

Estimativas preliminares apontam para volumes recuperáveis potenciais em torno de 380 milhões de barris de óleo equivalente. "A Petrobras tem um peso relevante sobre o Ibovespa e consegue reduzir as perdas do mercado brasileiro. De toda forma, além dos números de emprego nos EUA, notícias negativas no setor de cobre mundial também pressionam os papéis da Vale, então há uma zeragem de posição entre os investimentos em Petrobras e Vale", pontuou Daniella.

Ainda no ambiente corporativo, instantes atrás, as ações PNA da Vale cediam 3,21%, a R$ 41,52, com giro de R$ 392,7 milhões. Entre as principais baixas do dia estão os papéis da Usiminas. Há pouco, as ações ON e PNA da empresa diminuíam 4,34% e 3,93%, respectivamente, cotadas a R$ 42,68 e a R$ 43,95. Além disso, os papéis ON da PDG Realty caíam 3,99%, a R$ 14,90.

No sentido oposto, as principais altas do Ibovespa eram lideradas pelos papéis PNB da Eletropaulo, com valorização de 4,40%, a R$ 32,23, e ON da Natura, com alta de 1,42%, a R$ 36,97. No mercado brasileiro, o fluxo estrangeiro na Bovespa ficou negativo em R$ 171 milhões no primeiro pregão de junho, resultado de compras no valor de R$ 1,658 bilhão e de vendas de R$ 1,829 bilhão. Naquele dia, o Ibovespa caiu 1,91%. No ano, o resultado da atuação do investidor internacional na bolsa brasileira está negativo em R$ 2,961 bilhões.

Leia tudo sobre: bovespabolsamercados

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG