Tamanho do texto

Banco enviou aos reguladores detalhes de sua emissão. Operação dará suporte a crescimento do crédito, expansão e ajuste em Bolsa

O Banco do Brasil (BB) deu o pontapé inicial para sua oferta de ações. A instituição protocolou nesta quarta-feira na Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), o prospecto preliminar da distribuição pública de papéis. Com base no fechamento das ações no pregão da última segunda-feira, de R$ 25,78 (valor que consta do anúncio de oferta), o total pode ficar em R$ 9,2 bilhões. Se for exercido o lote suplementar, a emissão pode chegar a R$ 10,2 bilhões.

A oferta do BB é mista. Isso significa que há uma parte primária, na qual há captação de dinheiro novo para a instituição financeira, e uma parte secundária, com venda de papéis de acionistas já existentes. De acordo com as informações do prospecto, 85% dos recursos da oferta primária serão destinados para ampliar a base de capital do BB e viabilizar o crescimento das suas operações de crédito. Os 15% restantes darão suporte ao crescimento que virá de eventuais aquisições de outras instituições.

Com a oferta secundária, o banco tenta atingir o mínimo de ações em circulação no mercado (free float) de 25% requerido pela Bovespa. Segundo analistas, o free float passará de 21,9% para 33,6%, incluindo o lote suplementar.

A oferta de ações do BB é citada por especialistas como um dos motivos que contribuem para não deixar o Ibovespa subir. A oferta programada da Petrobras também entra nessa lista. Isso porque muitos dos investidores que querem comprar esses papéis acabam vendendo outros e segurando o dinheiro, para poder comprar BB e Petrobras depois.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.