NY recua, mas fecha trimestre mais forte em um ano

Por Angela Moon

NOVA YORK (Reuters) - As principais bolsas de valores dos Estados Unidos recuaram nesta quinta-feira, mas conseguiram fechar o melhor trimestre em um ano. Os índices Standard and Poor's 500 e Nasdaq tiveram os maiores ganhos mensais desde abril de 2009, após dados mostrarem que a economia não está tão ruim.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 0,44 por cento, para 10.788 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,33 por cento, para 2.368 pontos. O índice S&P 500 recuou 0,31 por cento, para 1.141 pontos.

No acumulado de setembro, o Dow subiu 7,7 por cento, o S&P avançou 8,8 por cento e o Nasdaq ganhou 12 por cento. A alta nos índices contrariou a ideia de que esse tradicionalmente é o pior mês para ações.

No terceiro trimestre, o Dow saltou 10,4 por cento, o Nasdaq avançou 12,3 por cento e o S&P disparou 10,7 por cento.

A sessão foi volátil, dividida entre os investidores que se posicionaram para o final de trimestre e aqueles que atuaram na ponta compradora, de olho em dados positivos.

Ainda assim, o S&P 500 parecia empenhado em superar a faixa entre 1.145 e 1.150 pontos.

"Uma vez que setembro foi um mês muito forte, muitos pensam que outubro será assustador. Caso dados e balanços (futuros) confirmem que estamos finalmente deixando de lado temores de uma recaída (na recessão), outubro pode ser o mês para o S&P 500 superar o intervalo de operações e alcançar as máximas que vimos em abril", disse John Canally, economista e estrategista de investimento da LPL Financial, em Boston.

Companhias de semicondutores, setor que avançou durante este trimestre, estiveram entre as de pior desempenho e influência negativa no Nasdaq. O índice Philadelphia de semicondutores caiu 0,7 por cento.

No Dow, o maior avanço coube à Boeing, em alta de 0,9 por cento, após a fabricante de aeronaves dizer que seus resultados para o ano não serão afetados por seu atraso na primeira entrega do 747-8 Freighter, o maior jato comercial da empresa.

O mercado chegou a abrir em alta, após números mostrarem que os pedidos de auxílio desemprego caíram fortemente na última semana. Também colaboraram o crescimento na indústria manufatureira da região Meio-Oeste do país em setembro e o aumento nos gasto dos consumidores entre abril e junho

.

(Reportagem adicional de Doris Frankel)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.