Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Maioria das bolsas europeias fecha com queda

A maioria das bolsas europeias fechou em leve queda, depois dos fortes ganhos de ontem

AE |

selo

A maioria das bolsas europeias fechou em leve queda, depois dos fortes ganhos de ontem. As ações do setor bancário, que haviam sido impulsionadas ontem pelos resultados melhores do que o esperado do HSBC e do BNP Paribas, hoje lideraram a queda. O índice pan-europeu Stoxx 600 teve leve retração 0,01%, para 262,06 pontos.

Apesar de alguns balanços corporativos positivos hoje, os comentários feitos ontem pelo presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, de que a economia do país ainda está longe de uma recuperação total prejudicaram o sentimento nos dois lados do Oceano Atlântico. Além disso, uma matéria do Wall Street Journal sugere que o Fed pode considerar adquirir mais bônus e introduzir novas medidas de afrouxo monetário para ajudar a economia. Mais cedo, os mercados asiáticos fecharam em alta, na sua maioria, com as ações dos setores financeiro e de commodities subindo.

"Pode ter havido um pouco de realização de lucros no setor financeiro", disse Stephen Taylor, estrategista da Dolmen Stockbrokers. "Ainda assim, dado o que temos visto em algumas empresas alemãs (em termos de lucro e projeção), eu acho que os mercados devem se manter razoavelmente bem até sexta-feira, quando saem os dados sobre o mercado de trabalho (payroll) dos EUA", comentou.

O índice FTSE-100, da Bolsa de Londres, fechou com pequena queda de 0,01%, em 5.396,48 pontos, após uma forte alta ontem. Hoje a sessão foi sem brilho e sem direção para as grandes empresas do Reino Unido, disse a consultoria IG Index. "Um surto de fraqueza nos EUA deixou os traders de Londres inquietos, mas essas quedas de curto prazo ainda são atraentes para alguns compradores". A IG afirmou ainda que as ações de bancos se acalmaram após a alta de ontem, provocado pelo balanço do HSBC. "Alguns acharam que os ganhos podem ter sido exagerados e decidiram que é mais seguro ficar de fora até que os outros bancos do país divulguem seus balanços nos próximos dias." As ações do Barclays caíram 0,35% e as do HSBC, 1,26%. A Investec PLC teve queda de 5,62%. A British Airways subiu 2,21%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra DAX encerrou com alta de 0,25%, a 6.307,91 pontos, com balanços positivos de grandes empresas compensando os dados negativos dos EUA. Um trader disse que a resiliência do DAX mostra a força do índice da Alemanha e acrescentou que espera que a Bolsa de Frankfurt registre ganhos amanhã. As ações do Deutsche Post subiram 3,70%, após a empresa divulgar um aumento de 23% no lucro líquido do segundo trimestre. A BMW subiu 3,08%, com notícias de fortes vendas no segundo trimestre e um crescimento no lucro, que chegou a 831 milhões de euros, de 119 milhões de euros do mesmo período do ano passado.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em queda de 0,12%, em 3.747,51 pontos. Entretanto, o setor automotivo aumentou os ganhos registrados ontem, com a Renault subindo 3,42%. A Michelin teve alta de 2,85% e a Peugeot de 2,90%. A Suez Environment ganhou 1,54%, após ganhar um contrato de 50 anos com o governo da Espanha, no valor de 980 milhões de euros. O Société Générale liderou as perdas, com queda de 1,97%, antes da divulgação do balanço do segundo trimestre, amanhã.

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, terminou em queda de 0,23%, em 21.498,32 pontos. O UniCredit perdeu 1,80%, após o banco divulgar dados decepcionantes para o segundo trimestre, com uma queda de 70% em relação ao lucro do mesmo período do ano passado. Em geral, as ações do setor bancário fecharam em direções divergentes, com os investidores esperando por um voto de confiança sobre o subsecretário de Justiça, marcado para amanhã. O Intensa Sanpaolo subiu 0,27%, a Banca Monte dei Paschi Siena ficou estável. A Fiat foi um dos destaques positivos do dia, com alta de 3,08%, acompanhando a alta generalizada no setor automotivo europeu e também influenciada pela divulgação ontem dos números da venda de automóveis e veículos comerciais leve no Brasil nos primeiros sete meses do ano.

Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 0,33% em 10.871,40 pontos, auxiliado pela confiança do consumidor e por uma queda nos pedidos de auxílio-desemprego em julho. As ações da FCC ganharam 3,30%. A Abengoa perdeu 1,13%. O Bankinter subiu 2,56% e o Banesto 2,16%.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 0,25%, em 7.531,06 pontos. O Banco BPI subiu 2,30% e o Banco Comercial Português 1,47%. A Portugal Telecom teve queda de 1,52% e a Galp Energia ganhou 0,24%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: ECONOMICO-ECONOMIA

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG