Publicidade
Publicidade - Super banner
Mercados
enhanced by Google
 

Maior crédito não eleva inadimplência, diz Febraban

Expectativa de bancos é que taxa de inadimplentes termine o ano em 4,6%; para o crédito, estimativa é de avanço de 21,1% em 2010

Olívia Alonso, iG São Paulo |

Rubens Sardenberg, economista chefe da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), disse nesta quarta-feira que a taxa de inadimplência brasileira está estabilizada e não deverá aumentar com a expansão do crédito este ano, estimada em torno de 20%.

Os bancos brasileiros esperam que a taxa de inadimplência fique em 4,6% ao final deste ano, patamar que deverá se repetir em 2011, segundo pesquisa realizada pela Febraban com 31 instituições financeiras e divulgada nesta quarta-feira. Em 2009, a taxa foi de 5,6%, segundo a entidade. Para o crédito, a estimativa de crescimento é de 21,1% em 2010 e de 18,9% no ano que vem.

Segundo Sardenberg, ainda que o crédito aumente entre populações com níveis de endividamento maiores, o número de inadimplentes não deverá piorar. “A inadimplência está mais ligada ao ciclo econômico brasileiro, que está positivo. Há todo um cenário de melhora, com maior renda, mais emprego”, afirma o economista, que descarta o risco de uma bolha de crédito. “Estamos em um patamar em que este risco ainda não é preocupante”, afirma. Sardenberg acrescentou que a inadimplência brasileira ainda é alta em relação a outros países e que “há espaço para diminuir”.
 

Leia tudo sobre: Febrabaninadimplênciacréditobancos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG